PONTOS-CHAVE DO TRABALHO DE FOOTWORK NO TÊNIS

Conteúdos

PONTOS-CHAVE DO TRABALHO DE FOOTWORK NO TÊNIS

O trabalho organizado e bem coordenado da movimentação dos pés e tornozelos é fundamental para um melhor desenvolvimento técnico e tático durante o jogo de tênis. As Limitações técnicas de plasticidade de movimento nos golpes (forma ou jeito com que se executam) não são, necessariamente, indicadores de má performance. Contudo, uma movimentação ineficiente de pés e tornozelos impede consideravelmente as possibilidades de elevação dos níveis atléticos e de tênis das crianças.

É possível estabelecer estratégias que oportunizem às crianças vivenciar situações de movimentação dos membros inferiores e, em especial, dos pés e tornozelos, favorecendo um completo desenvolvimento dessa cadeia de movimentação.

No tênis, é possível destacar alguns elementos-chave na construção de uma sólida base de movimentação dos pés, como apontam especialistas da Optimum Tênis. São eles, abaixo:

Reconhecer a bola - Observação e antecipação são o primeiro passo para se obter boa movimentação dos pés no jogo de tênis. Os jogadores devem entender, aprender e incorporar o Split Step como parte de sua movimentação. O Split Step prepara o tenista para se movimentar o quanto antes após o adversário fazer contato com a bolinha. Essa postura de prontidão é o diferencial entre reagir rapidamente ou ter que se defender sempre. O Split Step amplia a base de jogo, aproxima o centro de gravidade do solo e prepara o tenista para se mover em direção da bolinha que está a chegar.

Intensidade - O tênis moderno está cada vez mais intenso, forte, rápido e com menor duração das trocas de bola. Assim, um tenista deve manter uma atenção mental constante para se mover rapidamente até a bola. Uma boa antecipação, ou seja, enxergar, perceber e coordenar ações durante o ponto de impacto do adversário e também da movimentação do mesmo, permitirá ao tenista se preparar com a intensidade adequada para golpear a bola.

É preciso encontrar o equilíbrio de intensidade, para não tomar decisões precipitadas – quando a intensidade está muito alta - ou atrasadas e em posição desequilibrada, no caso de uma baixa intensidade.

Os exercícios realizados na escada motora fortalecem os tornozelos e toda a cadeia de membros inferiores. Manter um bom afastamento das pernas e calcanhares sem contato com o solo durante a execução dos exercícios facilitarão a transferência de aprendizagem para as situações de jogo, bem como alternar a velocidade de movimentação. Coordenar ações visuais com movimentação dos tornozelos e pés, como jogar bolinhas de cores variadas para as crianças enquanto elas executam os movimentos, e determinar movimentos conforme as cores das bolinhas lançadas também influenciará na aquisição de uma adequada intensidade.

Primeiro passo de movimentação - É determinante coordenar o que foi percebido pelos olhos com as ações motoras (Split Step) para reagir aos golpes do adversário, uma vez que essa antecipação altera a efetividade da movimentação e do golpe. Uma dica para fazer as crianças pensarem no primeiro passo de movimentação é começar a realizar um Split Step quando a bola dele quica no campo do adversário. Esse Split antecipado auxiliará a primeira movimentação em direção à bola. Uma maneira divertida para as crianças é brincar de “Tic Tac” do relógio. Toda vez que a bola quica no campo do adversário, a criança que rebateu deverá falar “TIC” e dar o Split Step, e toda vez que o adversário for rebater a bola, a criança falará “TAC” e dará o passo para se preparar.

Seja um franqueado de sucesso

Esporte e Educação: Investir na Escola Guga transforma vidas.

Quero ser franqueado
Guga Kuerten Investimentos a partir de R$ 80.000

Receba Novidades